A história

Um Encontro Decisivo
Em 1988 começou a história da Fundação, graças ao providencial encontro de Giorgio Vaccari e Zeninha (Lusenice Rodrigues Vaccari) no Centro de Recepção e Triagem da FAMEB para menores infratores. Giorgio lembra: “Fui convidado a fazer algumas palestras aos 240 adolescentes reclusos e foi assim que conheci Zeninha, uma voluntária que estava tentando alfabetizar alguns deles. Logo entramos em sintonia porque ambos éramos muito desejosos de estender a mão a todos eles. Após termos conversado em particular com cada um e compartilhado os vários momentos dessa vida de reclusão, nos sentimos tão tristes em ter que deixá-los nessa situação desumana e sem perspectivas que resolvemos fazer alguma coisa para socorrê-los, à custa de ter que inventar uma nova forma de atendimento, uma proposta que fosse uma alternativa à vida na rua e nos reformatórios. Foi assim que começou a experiência do Centro de Solidariedade de Salvador.

O Conde Franco Gilberti
Os primeiros cinco anos serviram para convencer-nos de que, quando se trata de ajudar a pessoa a crescer, resultados verdadeiros e profundos podem se obter somente “a longo prazo” e, sobretudo, que podíamos contar com a ajuda da Providência de Deus. De fato, tivemos que mudar de lugar por três vezes para proteger os meninos, ameaçados de morte por alguns marginais que persistiam em querer envolvê-los no tráfego de droga: isto foi possível graças à providencial e extraordinária intervenção da Condessa Maria Teresa Gilberti de Milão. Em 1994 esta nossa experiência consolidou-se constituíndo-se numa fundação, que fizemos questão de dedicar à memória do seu marido, o Conde Franco, pessoa muito estimada por sua bondade e sua generosidade para com os pobres seja em Milão que em Santa Margherita Ligure.

Uma Grande Oportunidade
Em todos estes anos foi oferecido abrigo a milhares de meninos e algumas mães solteiras. Muitos voltaram a viver com os parentes ou preferiram morarem sozinhos após termos providenciados para eles um emprego e uma casa própria. Infelizmente alguns voltaram à rua onde se envolveram com os marginais e acabaram sendo barbaramente mortos… Por eles sempre nós rezamos.

Após trinta e dois anos de atividade e mais de três mil meninos acolhidos, o Centro de Solidariedade concluiu sua atividade em 2018.

Uma nova aventura
A Fundação Franco Gilberti criou, em 2020, a Escola Técnica Família Agrícola “A Partilha”, que oferece formação a filhos de camponeses das regiões rurais do Estado da Bahia.